Publicidade

Empresas de gestão de resíduos sólidos se reúnem para debater normativas e leis ambientais que regulam o setor

Evento foi o 6° Ciclo de Tecnologias de Tratamento de Resíduos Sólidos com o tema: Coprocessamento e Normas


Com o foco em apresentar as normativas e leis ambientais que regulam o setor de coprocessamento de resíduos sólidos em São Paulo e no país, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), por meio do Comitê de Integração de Resíduos Sólidos (CIRS) em parceria com a Diretoria T da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e apoio da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), promoveu nessa terça-feira (19), o 6° Ciclo de Tecnologias de Tratamento de Resíduos Sólidos com o tema: Coprocessamento e Normas.

“O saneamento com a água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos urbanos é um componente fundamental para a saúde da população. Estamos trabalhando para a transformação das políticas nacional e estadual de resíduos sólidos em realidade”, disse o secretário da SIMA, Marcos Penido, na abertura do evento.

“A Cetesb tem reconhecido os avanços na utilização do combustível derivado de resíduos pelos ganhos ambientais de diversas ordens. Em especial, pela substituição dos combustíveis tradicionais e a diminuição das emissões de gases do efeito estufa, além do prolongamento da vida útil dos aterros sanitários”, registrou a diretora-presidente da Cetesb, Patricia Iglecias.

“Estou impressionado com o avanço que o tema tem tido no governo e na sociedade. Vejo uma coerência muito grande em aliar as normas com as necessidades ambientais”, completou o subsecretário de meio ambiente da SIMA, Eduardo Trani.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Mario William, existem no Brasil 21 normas sobre resíduos que estão desatualizadas e devem ser modernizadas. O diretor da ABNT, Luis Carlos Busato, completou. “A norma não é estática, estamos prontos para fazer os ajustes necessários para modernizar e deixar mais eficiente”.

“Posso dizer que existe um alinhamento muito grande com que está acontecendo sobre coprocessamento na Europa. Todos os setores industriais estão voltados para o mesmo objetivo no momento, com muita ênfase em encontrar tecnologias que possibilitam um evolução na maneira que se produz atualmente. Nosso foro hoje é a neutralização do CO² até 2050 e a economia circular”, comentou o diretor da European Cement Association, Vagner Maringolo.

Para concluir o evento os representantes da Cetesb, Lia Helena Demange e Alfredo Rocca, comentaram os marcos estaduais existentes assim como a Lei Federal e as resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

O encontro foi mediado pelos coordenadores do CIRS, José Valverde Filho e Ivan Mello; e contou com a participação também do diretor da European Cement Association, Nikos Nikolakakos, do Diretor de Tecnologia na Sabesp, Alceu Semagarchi Jr.; do assessor técnico da SIMA, Ricardo Cantarani; além da diretora da Sabesp, Cristina Zuffo.

Para conferir as apresentações realizadas clique aqui. O próximo evento ocorre no dia 26 de maio e terá como tema ”Consórcios intermunicipais para gestão e gerenciamento de resíduos sólidos: Governança e boas práticas” e já está com inscrições abertas no link https://bit.ly/cirs-26mai-14h00 .

Publicidade