REVISTA TAE - Compesa aposta na inovação para reduzir 10% do consumo de energia da Adutora de Serro Azul
Esta notícia já foi visualizada 828 vezes.



Compesa aposta na inovação para reduzir 10% do consumo de energia da Adutora de Serro Azul

Data:17/05/2019
Fonte: Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)

Um dos maiores desafios para a operação de sistemas de abastecimento de água é reduzir o consumo de energia elétrica para esse fim. Com esse propósito, o Governo do Estado estimulou  que a  Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)  inovasse e autorizou a aquisição de quatro eletrocentros para o funcionamento  das estações de bombeamento que compõe a obra da Adutora de Serro Azul, prevista para ser concluída em dezembro deste ano. É a primeira vez que a Compesa utiliza um eletrocentro, uma sala elétrica pré-fabricada que abriga todo sistema de comando e controle que acionam os conjuntos de motobomba. Por meio de tecnologias, como a variação de velocidade, é possível bombear a água com mais eficiência, reduzindo o consumo de energia em até 10% se comparado a um sistema convencional.



O uso dessa tecnologia também garante mais confiabilidade ao sistema e continuidade no abastecimento de água para a população, já que diminui a ocorrências de panes elétricas e a necessidade de paralisações para manutenções. Para transportar os eletrocentros – cada um pesa em torno de 35 toneladas – até o local de instalação junto às estações de bombeamento foi realizada uma força-tarefa que envolveu 50 profissionais e o auxílio de guindastes, carretas, caminhões e tratores. “A aquisição dos eletrocentros é um marco na obra de Serro Azul e representa uma melhoria na prestação dos nossos serviços. Apenas outras duas companhias no país já lançaram mão dessa tecnologia. No caso dessa obra, essa foi uma alternativa ainda mais econômica do que a construção convencional”, pontua o presidente da Compesa, Roberto Tavares. Para a compra dos eletrocentos foram aplicados R$ 10,2 milhões, recursos previstos no investimento total da Adutora de Serro Azul, que é de R$ 200 milhões (fruto do convênio do Governo do Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento-BID). O projeto tem a supervisão da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos, pasta a qual a Compesa está vinculada.



As obras de implantação do novo sistema adutor estão em andamento com seis frentes de serviços e 120 trabalhadores atuando na construção de quatro estações elevatórias e na implantação da adutora, nos municípios de Palmares e Bonito. Até o momento, já foram concluídos 40% da implantação da adutora, que terá 58 quilômetros de extensão, da Barragem de Serro Azul, em Palmares, até Bezerros, onde esse sistema se integrará a Adutora de Agreste para abastecer 1,5 milhão de pessoas nas cidades de Belo Jardim, Sanharó, Caruaru, Tacaimbó, São Bento do Una, São Caetano, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Bezerros e Gravatá. Além da adutora, que terá capacidade de transportar 500 litros de água por segundo, o novo sistema será formado por quatro estações de bombeamento (estações elevatórias) e um reservatório com capacidade para acumular 4,5 mil metros cúbicos.

Comentários desta notícia

Publicidade